Preso e torturado durante o regime militar que vigorou de 1964 a 1985, o teatrólogo Augusto Boal exilou-se na Argentina, terra de sua mulher, a psicanalista Cecília Boal. Nesse período, recebeu convite da Secretaria de Cultura de Lisboa para integrar o núcleo de professores do governo português. A renovação de seu passaporte, porém, tinha sido recusada pelo governo brasileiro e só neste ano de 1976 aconteceria o julgamento que lhe permitiria, com o documento, mudar-se para Lisboa.

Buenos Aires, 3 de maio de 1976

…encenada. [3] N.S.: Letra de Boal musicada por Chico Buarque para a peça Lisa, a mulher libertadora. [4] N.S.: Jane Spitfire ou A deliciosa e sangrenta aventura latina de Jane…

A troca de cartas entre Vinicius de Moraes e Chico Buarque a respeito de Valsinha mostra como foi a parceria para essa canção que encantou o público. Gravada por Chico no elepê Construção, de 1971, recebeu, no mesmo ano, as interpretações de Ângela Maria, no elepê Ângela, e do grupo MPB-4 em De palavra… em palavra…

Mar del Plata, 24 de janeiro de 1971

…39. [1] N.S.: Vinicius se refere à Rua Buri, em São Paulo, onde morava o historiador Sérgio Buarque de Holanda, pai de Chico, com a família. A casa era no…

Por ocasião do nascimento de Sílvia Buarque de Hollanda, a primeira filha de Chico Buarque e Marieta Severo, em Roma, em 28 de março de 1969, o flamenguista Cyro mandou uma camisa do Flamengo de presente à recém-nascida. O pai da menina, torcedor do Fluminense, agradeceu com este samba/carta que gravaria em seu disco Chico Buarque de Hollanda nº 4, de 1970. Nesse mesmo ano, o próprio Cyro regravou a canção em seu elepê Alô, jovens, tio Cyro Monteiro canta sambas dos sobrinhos. Gravações à parte, Cyro venceu: Sílvia tornou-se torcedora do Flamengo.

Roma, 1970

Amigo Cyro Muito te admiro O meu chapéu te tiro Muito humildemente Minha petiz Agradece a camisa Que lhe deste à guisa De gentil presente Mas caro nego Um pano…

Paulista de Ribeirão Preto, formou-se em letras clássicas pela PUC-Rio, com mestrado e doutorado em literatura brasileira na UFRJ, onde coordena o Programa Avançado de Cultura Contemporânea (PACC/UFRJ), a que…

Na histórica edição do III Festival Internacional da Canção, realizado em 29 de setembro de 1968, a canção favorita do público era Pra não dizer que não falei das flores, de Geraldo Vandré. A vencedora, no entanto, foi Sabiá, que tem letra de Chico Buarque e música de Tom Jobim. Como Chico estava em Veneza, Tom recebeu sozinho a vaia no final da fase brasileira, e em seguida telegrafou ao parceiro reivindicando sua presença. Chico atendeu o pedido e recebeu, ao lado de Tom, a vaia na grande final da fase internacional.

Rio de Janeiro, 5 de outubro de 1968

Venha urgente. Presença imprescindível. Temos que estar juntos. Preciso de você. Tom Jobim Nota: Telegrama que o Tom me mandou quando tomou (sozinho) a vaia do Sabiá Achados. Organização de…