…na miséria. Décadence avec élégance. A descoberta tem inequívoca ligação à biografia do autor, mas permite que Benjamin conduza uma reflexão mais abrangente. Foram muitos os poemas dedicados a Victor

Em outubro de 1902, Euclides da Cunha enviou a Francisco de Escobar um dos primeiros exemplares, ou as provas tipográficas, de Os sertões, no qual o amigo identificou erros de pontuação, acentuação e concordância. Mortificado com os descuidos que cometera, Euclides lhe escreve esta carta, e, antes da publicação da obra, ainda naquele ano, faz correções a nanquim e ponta de canivete em cerca de 1.000 exemplares. Em alguns, encontram-se também emendas impressas.

Lorena, 19 de outubro de 1902

…e a disciplinar pronomes! Felizmente disseram também que o Victor Hugo não sabia francês. Vou escrever ao Laemmert para reduzir, quanto possível, a primeira edição, se houver tempo. Afinal, egoisticamente,…

Aos 18 anos, quando publicou seu primeiro livro, Os grilos não cantam mais (1941), Fernando Sabino enviou um exemplar a Mário de Andrade, àquela altura já escritor de grande prestígio. A resposta do autor de Macunaíma deu início a um diálogo epistolar por meio do qual se estabeleceu uma relação de mestre e discípulo de que esta carta é exemplo.

São Paulo, 16 de fevereiro de 1942

…força de aperfeiçoamento. Afinal das contas, Goethe não se perdeu. E Victor Hugo, nos dias de maior realização amorosa escreveu a “Tristesse d’Olympio”… E ainda existe esse mistério de “infelicidade…

Desde abril de 1946, Clarice Lispector e o marido, Maury Gurgel Valente, moravam em Berna, Suíça, onde ele, como diplomata, assumira o cargo de segundo-secretário na embaixada do Brasil. A convite do casal de jornalistas Bluma e Samuel Wainer, os Gurgel Valente passaram o final desse ano em Paris, hóspedes dos amigos, que moravam na capital francesa. De lá, onde Clarice e o marido permaneceram até 4 de fevereiro, ela escreve às irmãs Elisa e Tania.

Paris, janeiro de 1947

…poeta, estava sentado junto (foi no Ritz) aquele ator de cinema Victor Francen.[3] Ele é igual à tela. Temos visto muitos bolsistas, somos amigos de Ceschiatti, o escultor brasileiro que…