Gonçalves Dias conheceu Ana Amélia Ferreira do Vale em 1846, no Maranhão, e, fascinado por sua beleza, por ela se apaixonou quando a reencontrou cinco anos depois. Sabendo-se correspondido, venceu a timidez e pediu-a em casamento à mãe da moça, Lourença Ferreira do Vale. Apreendendo a recusa, nesta carta mostra sua insegurança a José Joaquim Ferreira do Vale, seu amigo e irmão de Ana Amélia.

São Luís, [1851]

…e prosa escolhida. Rio de Janeiro: José Aguilar, 1959, pp. 812-813. [1] N.S.: Alexandre Teófilo de Carvalho Leal, amigo de Gonçalves Dias. Era primo e cunhado de Ana Amélia Ferreira