Aos nove anos de idade e já atento ao uso dos pronomes, o economista André Lara Resende, filho do escritor Otto Lara Resende, relata ao pai, nesta carta-diário, as aventuras de suas férias com o irmão, Bruno, no sítio do Ipê.

[Ipê, Brasília],[1] 6 de dezembro de 1960

Papai,

Como você me pediu para lhe escrever escrevo-lhe agora.

Tudo vai bem aqui, espero que aí esteja também.

Você me pediu para contar a você o que se passa aqui pela carta, pois aí vai o diário:

Dia 1

No dia em que cheguei aqui […]

A grandeza humana e retidão de caráter do escritor Rodrigo Mello Franco de Andrade são tema desta carta que Alceu Amoroso Lima, ou Tristão de Athayde, como ficou conhecido, escreveu à filha Maria Teresa, religiosa que professava no mosteiro de Santa Maria, em São Paulo.

Petrópolis, 13 de maio de 1969

[…][1]

Muita gente e pouco espaço no enterro do Rodrigo. Tanto assim que nem vi que dom Marcos estava celebrando missa de corpo presente. Fiquei conversando com o Américo Lacombe,[2] o Xará[3] e outros. Havia em todos um sentimento profundo e também visível. Apesar das inevitáveis conversas, respirava-se um […]

Antes de mudar-se definitivamente para o Brasil em 1932, o pintor Lasar Segall morou no país por cinco anos, a partir de 1923. As razões que motivaram sua vinda em novembro desse ano, além da análise que faz da situação do artista, de um modo geral, e da sociedade europeia naquela época, estão descritas nesta carta ao irmão Oscar, antes da primeira visita.

Berlim, 19 de fevereiro de 1923

Caro Oscar!

Devo infelizmente confessar que me é bastante penoso escrever cartas; do contrário, terias já há muito ouvido notícias minhas. Tuas cartas, que muito me interessam, há meses me observam e me solicitam de cima de minha escrivaninha, e queixam-se de minha falta de energia. Estivéssemos nós juntos agora, eu te contaria detalhadamente sobre […]

Figura trágica da monarquia brasileira, Pedro Augusto de Saxe-Coburgo e Bragança foi preparado para suceder ao avô, dom Pedro II. Bonito e culto, mas frágil emocionalmente, esse filho da princesa Leopoldina, que deveria tornar-se dom Pedro III, acompanhou de perto a morte do imperador do Brasil no exílio, em Paris. Seu testemunho pode ser lido nesta carta à tia, a duquesa Alexandrina de Saxe-Coburgo e Gotha. 

Paris, 29 de dezembro de 1891

Minha querida tia,

Devo pedir-lhe mil desculpas por meu atraso. Acredite, foi devido ao estado de tristeza e ao repouso no qual me encontro desde a catástrofe do dia 5 deste mês.

Faço questão também de agradecer-lhe de todo o coração essas novas demonstrações de afeto quase maternais.

Minha carta parecerá talvez insuficiente para exprimir […]

Casada com o diplomata Maury Gurgel Valente desde 1943, Clarice Lispector acompanhou-o em todos os postos mundo afora. Na capital suíça ela deu à luz seu primeiro filho, Pedro, que de tão bonito o chamou também de Gildo, evocando a beleza de Rita Hayworth no filme Gilda, de 1946.

Berna, 11 [de] setembro [de] 1948

Minhas irmãzinhas queridas,

Vocês devem ter recebido o telegrama de Maury – Pedro nasceu ontem, dia 10, às 7h30 da manhã. Estou escrevendo na madrugada de 11, porque não posso dormir direito. Estamos muito contentes, Maury e eu: a criança é sadia, fortona, pesa uns três quilos, seiscentos – por enquanto é a cara do […]