Em um encontro de Vinicius de Moraes, Otto Lara Resende e Fernando Sabino na casa do último, em outubro de 1944, o poeta carioca leu e criticou alguns textos de Otto, tomados como exemplo da alma contida, sufocada e bem-comportada dos mineiros. A análise de Vinicius convenceu os amigos da necessidade de mudança nesse panorama literário, o que o levou a escrever esta carta polêmica publicada em O Jornal, do Rio de Janeiro, no dia 5 de novembro de 1944.

Há uns dez pares de dias, ó escritores de Minas Gerais, uma conversa noturna que se iniciou num bar em Copacabana levou-me à casa de um jovem conterrâneo vosso, um prosador novo dessas terras altas, e, apraz-me dizer, um dos melhores e mais bem aquinhoados pela humanidade e pelo espírito. Com ele se achava outro […]

Em 18 de janeiro de 1921, Austregésilo de Athayde publicara no jornal carioca A Tribuna uma carta aberta a Lima Barreto, na qual, entre elogios, procurava estabelecer diferenças entre a obra dele e a de Machado de Assis. Esta é a resposta de Lima Barreto, escrita no dia seguinte e publicada vinte anos depois na Revista do Brasil.

Todos os Santos [Rio de Janeiro], 19 de janeiro de 1921

Meu caro senhor Austregésilo de Athayde,

Saudações.

Agradeço-lhe muito a bondade que teve, dirigindo-me a carta aberta que a Tribuna publicou, em 18 último.

Quisera, por miúdo, saber dos termos da excomunhão que mereci do padre-mestre Tadeu.

Não tenho nenhuma malquerença com os padres e mesmo com os frades de certas ordens. Se há algum […]

Em 18 de janeiro de 1921, Austregésilo de Athayde publicou no jornal carioca A Tribuna esta carta aberta a Lima Barreto, na qual estabelece diferenças entre o estilo deste escritor e o de Machado de Assis. A resposta de Lima Barreto, escrita no dia seguinte, seria publicada vinte anos depois na Revista do Brasil.

Mestre Lima Barreto,

Consinta que lhe mande, publicamente, esta carta de lou­vor ao seu último livro. Desacostumado a ver obra de mérito nos trabalhos literários que se têm publicado nesta década, faço exceção aos seus e aos de João do Rio, ambos muito diversos na maneira, mas os únicos que chamam a atenção dos estudiosos […]