Contemplada com a prestigiosa Bolsa Humboldt, cujo lema é “não investimos em projetos, mas em pessoas”, a historiadora de arte brasileira Paula Ramos escreve, de Berlim, a convite do Correio IMS, sobre as prime­­iras descobertas durante uma estadia que se prolongará por 18 meses. Autora do magnífico A modernidade impressa – artistas ilustradores da Livraria do Globo – Porto Alegre, Paula se dedicará à pesquisa da formação do artista João Fahrion, na Alemanha dos anos 1920.

Berlim, 23 de julho de 2018

Para os que trabalham no ambiente acadêmico e gostam de estudar e de pesquisar, há poucos países tão interessantes e desafiadores quanto a Alemanha. Com suas universidades, laboratórios, bibliotecas, museus, centros de documentação e instituições de fomento, o país atrai, anualmente, centenas de estudantes e investigadores estrangeiros. Muitos vêm beneficiados por bolsas oriundas de seus […]

Na Paris de 1948, tomando café em Montparnasse e falando “despudoradamente de pintura”, Iberê Camargo e Mário Carneiro construíram uma amizade que se manteria por meio de cartas como esta, em que impressões e angústias sobre arte são tema.

Rio de Janeiro, 8 de novembro de 1957

Caríssimo general,

Ontem terminei um quadro que me custou muito trabalho. Trata-se de uma tela grande.[1] Mede 1,50m x 0,53m – retângulo áureo – onde alinhei uma porção de latas, garrafas, laranjas, enfim, os meus brinquedos de sempre. Trabalhei nesse quadro mais de um mês, gastei uma pequena fortuna em tintas. Mais de […]

Antes de mudar-se definitivamente para o Brasil em 1932, o pintor Lasar Segall morou no país por cinco anos, a partir de 1923. As razões que motivaram sua vinda em novembro desse ano, além da análise que faz da situação do artista, de um modo geral, e da sociedade europeia naquela época, estão descritas nesta carta ao irmão Oscar, antes da primeira visita.

Berlim, 19 de fevereiro de 1923

Caro Oscar!

Devo infelizmente confessar que me é bastante penoso escrever cartas; do contrário, terias já há muito ouvido notícias minhas. Tuas cartas, que muito me interessam, há meses me observam e me solicitam de cima de minha escrivaninha, e queixam-se de minha falta de energia. Estivéssemos nós juntos agora, eu te contaria detalhadamente sobre […]

O encontro de Goeldi com o tcheco Alfred Kubin na Galeria Wyss, em Berna, 1917, foi decisivo na formação do artista brasileiro que fazia ali sua primeira exposição individual. Iniciada em 1926, a correspondência entre os dois inclui cartas como esta, na qual o gravador carioca descreve a paisagem do Rio de Janeiro, cidade que Kubin não conhecia.

Rio [de Janeiro], 16 de dezembro de 1930

Caro e venerado mestre,

Caro senhor Kubin,

O lindo livro com as suas maravilhosas ilustrações está bem guardado e me dá muita alegria. Eu moro aqui, ao lado do mar, na baía mais afastada do Rio “Praia-Ipanema-Leblon”. Das poucas casas que de vez em quando aparecem neste deserto de areia pode-se ver quase que só […]

Após a morte de Tomie Ohtake em fevereiro de 2015, o instituto que leva seu nome, em São Paulo, realizou a exposição “Tomie Ohtake 100-101”, em que foram expostas cerca de trinta telas, pintadas no centésimo primeiro e último ano de vida da artista. Após sua morte, o curador da exposição, Paulo Myiada, voltando no tempo, lhe escreve seis cartas, entre as quais esta, que trata da polêmica “Estrela do mar”, obra instalada na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro, onde ficou de 1985 a 1990.

Para São Paulo, 1985

Querida Tomie,

Não sei se você conhece a superstição, mas me diverte quando dizem que nossas orelhas ficam quentes quando falam da gente – a direita, se falam bem, a esquerda, se falam mal. Se for verdade, você provavelmente não está precisando cobrir a cabeça para dormir no frio! Em São Paulo, a exposição organizada […]