Prosadora paulista com textos celebrados pelos maiores nomes da crítica brasileira, Lygia Fagundes Telles transitou à vontade entre o romance e o conto, mas foi talvez no último que exerceu…

Vibrando com o talento da amiga Lygia Fagundes Telles, Erico Verissimo, nesta carta, não esconde seu encantamento com a coletânea de contos O jardim selvagem, publicada em 1965. A autora enviara o exemplar para os Estados Unidos, onde o romancista gaúcho visitava a filha, o genro e os netos, que moravam em Alexandria, no Estado americano da Virginia.

Alexandria, 6 de fevereiro de 1966

no Gofredinho. Para você um abracíssimo deste seu velho amigo Erico Arquivo Lygia Fagundes Telles/ Acervo IMS. [1] N.S.: Livro de Erico Verissimo publicado em 1965. [2] N.S.: Novela de…

Colega de curso na tradicional Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, onde  Lygia Fagundes Telles era a única mulher, Antonio Candido, nesta carta, relembra o período em que conheceu a escritora em um concurso de contos. Desta vez, o crítico literário a felicita pelo recebimento do Prêmio Camões – o mais importante da literatura de língua portuguesa –, e reivindica o lugar de ter sido dos primeiros a reconhecer-lhe o talento.

São Paulo, 15 de maio de 2005

afetuoso abraço do velho amigo e admirador Antonio Candido Acervo Lygia Fagundes Telles/ IMS [1] N.S.: Meus contos preferidos é uma antologia com 31 contos de Lygia Fagundes Telles selecionados…

Contemporâneo de Lygia Fagundes Telles e 21 anos mais velho que ela, Drummond pôde acompanhar a trajetória de uma das maiores contistas da literatura brasileira e tecer considerações sobre a obra da amiga. É o que faz nesta carta em que comenta os contos de O jardim selvagem, publicado no ano anterior.

Rio de Janeiro, 28 [de] janeiro [de] 1966

Lygia Fagundes Telles / Acervo IMS. [1] N.S.: Trata-se de O jardim selvagem, livro de contos de Lygia publicado em 1965. [2] N.S.: Referência ao conto “Meia-noite em ponto em…

Lygia Fagundes Telles cursava ainda a Faculdade de Direito do Largo de São Francisco quando começou a trabalhar como assistente do Departamento Agrícola do Estado de São Paulo. Embora estudasse para ser advogada, como o pai, aos 20 anos estava certa de que sua vocação era a literatura. Esta carta, escrita para Erico Verissimo, de quem era amiga, testemunha a insatisfação com o cargo público e a criação improvisada de um pequeno e delicioso conto.

São Paulo, 3 de julho de 1943

…Acervo Erico Verissimo/ IMS [1] N.S.: Lygia Fagundes Telles publicaria Praia viva – livro de contos – no ano seguinte. Só em 1954 lançaria o romance Ciranda de pedra. ….