Dramaturgo e diretor de teatro carioca, participou do movimento de renovação da dramaturgia nacional iniciado pelo Teatro de Arena, de São Paulo, na década de 1960. Tornou-se mundialmente…

No exílio entre 1971 e 1986, o dramaturgo Augusto Boal se correspondeu com uma série de amigos que lhe davam notícias da situação política e cultural do Brasil sob o regime militar. Todo um panorama do universo artístico de 1978 é vivamente descrito, nesta carta, pelo ator e diretor Fernando Peixoto, ligado ao Teatro Oficina e ao Teatro de Arena, a que Boal é visceralmente  ligado. Parte dessa correspondência integra a exposição Meus caros amigos – Augusto Boal – cartas do exílio, em cartaz no IMS de 4 de junho a 21 de agosto de 2016.

São Paulo, 4 de março [de 1978]

Está trabalhando com Guarnieri num roteiro. Mandou abraço pra você. Acervo Augusto Boal [1] N.S.: Milagre no Brasil é um livro de Augusto Boal, publicado em 1979 pela Civilização Brasileira….

Preso e torturado durante o regime militar que vigorou de 1964 a 1985, o teatrólogo Augusto Boal exilou-se na Argentina, terra de sua mulher, a psicanalista Cecília Boal. Nesse período, recebeu convite da Secretaria de Cultura de Lisboa para integrar o núcleo de professores do governo português. A renovação de seu passaporte, porém, tinha sido recusada pelo governo brasileiro e só neste ano de 1976 aconteceria o julgamento que lhe permitiria, com o documento, mudar-se para Lisboa.

Buenos Aires, 3 de maio de 1976

…contumaz? Pois então: senta aí, pega o violão e manda bala (principalmente no Casal procura esposa, e nas outras também!). Um abração do Boal Acervo Augusto Boal. [1] N.S.: Escrita…

Um dos maiores interlocutores de Augusto Boal quando o criador do Teatro do Oprimido esteve exilado, em Lisboa, durante a ditadura militar no Brasil (1964-1985), Chico Buarque certa vez lhe mandou notícias por meio da canção Meu caro amigo, gravada em fita K7 e enviada além-mar. Esta versão, como se pode ouvir na leitura em vídeo ao final da carta,[1] contém trechos excluídos na versão final. O fato só seria revelado publicamente em 2016, quando a equipe do IMS entrevistou o compositor, que se surpreendeu, ele mesmo, com os versos.

Rio [de Janeiro], 20 de julho [de 1975]

caros amigos – Augusto Boal – Cartas do exílio, realizada no IMS em 2016. [2] N.S.: Milagre no Brasil , livro de Augusto Boal sobre sua prisão, publicado em 1979…