Dois anos mais velho que Hélio Pellegrino, Otto Lara Resende tinha no amigo o interlocutor de intermináveis conversas desde a juventude, em Belo Horizonte. No Rio de Janeiro, onde, com suas famílias, moraram até o fim da vida, aprofundaram a amizade, só interrompida com a morte de Hélio, assunto desta carta de Otto ao amigo Francisco Iglésias, como se pode ouvir na leitura em vídeo ao final da carta.

Rio de Janeiro, 25 de março de 1988

Otto!” Vou fazer o possível. Desculpe esta baboseira. E obrigado. Ainda há amigos. Há você, Chico. Otto Arquivo Francisco Iglésias / Acervo IMS. Você pode ouvir a leitura da carta…

Mutuamente magoados por um desentendimento que ameaçava a amizade de muitos anos, alimentada por meio de mais de trezentas cartas em que trataram sobretudo de literatura e história, Francisco Iglésias e Otto Lara Resende buscam esclarecer o episódio que desencadeara a questão na troca de missivas que se reproduz aqui. Esta é a resposta de Otto à carta de Iglésias escrita em 18 de fevereiro. Os dois superariam por completo o problema.

Bruxelas, 21 de fevereiro de 1958

[1] N.A.: Relendo sua carta, verifico que você informou, sim, o dia em que chegava. Retifico, pois. [2] N.S.: Anotações feitas a lápis por Francisco Iglésias no verso da carta….